Weby shortcut
Radio Universitária
Vacinação

Centro de Saúde da UFG promove vacinação contra febre amarela

Ação em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde será realizada nos dias 6 e 7 de abril e entre 10 e 12 de abril

Texto: Luiz Felipe Fernandes Neves

A Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promove, nos próximos dias 6 e 7 de abril e entre 10 e 12 de abril, uma campanha de vacinação contra a febre amarela. A imunização será oferecida gratuitamente no Centro de Saúde da Família do Câmpus Samambaia, que fica ao lado da Faculdade de Educação Física e Dança (FEFD), das 8h30 às 17h. Confira também a lista com outros locais que disponibilizam a vacina em Goiânia.

A campanha é destinada às pessoas que nunca se vacinaram contra a febre amarela ou que receberam apenas uma dose há mais de dez anos. Aqueles que já possuem duas doses da vacina registradas no cartão de vacinação não precisam se imunizar. Quem perdeu ou não possui o cartão deve procurar orientação com a equipe de enfermagem da unidade de saúde. Verifique abaixo se você faz parte do público-alvo da campanha.

A febre amarela é transmitida pela picada de mosquitos transmissores infectados (Aedes aegypti, Haemagogus e Sabethes). A doença é considerada endêmica em Goiás, o que significa que são esperadas ocorrências num intervalo de sete a dez anos, sobretudo em macacos, que são hospedeiros do vírus. No último dia 29 de março o Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde de Goiânia recebeu o resultado de exame positivo para febre amarela realizado em um macaco encontrado morto na região do Câmpus Samambaia em outubro do ano passado.

O diretor de Vigilância em Saúde da prefeitura de Goiânia, Robson Azevedo, assegura que a ocorrência não representa ameaça para quem circula pelo câmpus e esteja vacinado. Casos de febre amarela urbana em humanos não são registrados no Brasil desde 1942 e não há risco de surto na cidade devido ao alto índice vacinal da população, que é de 94% contra febre amarela.


Orientações para a campanha de vacinação

* Documentos necessários:
- Documento pessoal com foto (identidade, carteira de motorista, crachá, etc);
- Cartão de vacinas. É muito importante que você procure com antecedência o seu cartão de vacinas, pois muitas pessoas já foram vacinadas e não possuem a necessidade de receber outra dose. O excesso de vacinas pode fazer mal! Se você perdeu seu cartão de vacinas e não tem como localizá-lo, procure orientação do enfermeiro na unidade.

* Quem precisa receber a vacina?
- Todas as pessoas que nunca se vacinaram ou aquelas que receberam apenas uma dose há mais de 10 anos.

* Quem não precisa receber a vacina?
- Adultos que já possuem duas doses da vacina febre amarela registradas no cartão de vacinas;
- Atenção! Todas as pessoas que possuem apenas uma dose devem esperar completar dez anos para receber a segunda dose. A vacinação não pode ser antecipada!

* Quem não pode receber a vacina?
- Pessoas com alergia a algum componente da vacina e alergia a ovos e gelatina;
- Doenças que levam a alterações no sistema de defesa nascidas com a pessoa ou adquiridas, incluindo as terapias, como quimioterapia e doses elevadas de corticosteróides;
- Histórico de doença do timo (órgão linfático), incluindo a miastenia grave, timoma (câncer no Timo) ou remoção do timo anteriormente;
- Indivíduos com Aids, indivíduos infectados pelo HIV com defesas baixas (CD4 abaixo de 200 células/mm3);
- Crianças menores de 6 meses de idade;
- Pacientes com câncer;
- Gestantes;
- Mulheres que estejam amamentando crianças abaixo dos seis meses de idade.
- Para os idosos: pessoas com 60 anos ou mais, que nunca foram vacinadas ou sem comprovante de vacinação, necessitam de avaliação médica, pois a vacina é constituída de vírus vivos e pode causar encefalite pelo vírus vacinal quando o primeiro contato com o vírus é a partir de 60 anos. Neste caso o médico deverá avaliar o benefício e o risco da vacinação, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrentes de comorbidades. É necessário apresentação de prescrição médica. Idosos que já tomaram uma dose (comprovada no cartão de vacinas) há mais de 10 anos podem receber a segunda dose sem prescrição médica.

Fonte : Ascom/UFG

Categorias : notícias

Listar Todas Voltar