Weby shortcut
Radio Universitária
Feed RSS
Previdencia social

Mulheres são as mais prejudicadas na Reforma da Previdência

Para as trabalhadoras rurais, professoras e outras categorias a aposentadoria estará cada vez mais difícil

O segmento feminino, maioria no mercado de trabalho e de beneficiários da previdência, será o mais prejudicado caso o texto da Reforma da Previdência, em tramitação no Congresso Nacional, seja aprovado como está. Em alguns casos, a idade para a aposentadoria aumenta em até dez anos para as mulheres. 

Com o objetivo de alertar a população sobre o teor da proposta, os sindicados dos docentes da UFG, Adufg, e dos técnicos-administrativos, Sint-Ifesgo, promoveram no último dia 3, uma palestra sobre o assunto. Rita Aparecida da Silva Azevedo, membro do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência de Goiás e do Tocantins, também membro do Centro Popular da Mulher, expôs para os presentes os pontos que mais atingem os trabalhadores na proposta de reforma do Governo, especialmente as mulheres. Ela concedeu entrevista a jornalista Silvânia Lima, veiculada no Jornal das Seis.

Entrevista - Rita Azevedo

Professora Bartira

A professora Geovana Reis, da Adufg, que coordenou a palestra também se manifestou sobre o teor, segundo ela “de maldade”, da proposta de reforma previdenciária e disse que só a mobilização popular para barrá-la.     

 

Entrevista - Geovana Reis

             

Geovana Reis - Adufg

 

 

Fonte: Rádio Universitária

Categorias: notícias